quarta-feira, 30 de agosto de 2017

AMAZÔNIA DEFLORADA

país das costas largas
aviltaram seu centro
colocaram um cérebro de réptil
no lugar do coração
onde caberiam tantos
agora, de assalto, seu pulmão arrombam
no tamanho de outra nação
não temos pernas para só correr
há braços, como tentáculos do po(l)vo
querendo sua proteção
brasil, que esses não são dignos
da grande mãe que lhes pariu

virginia finzetto

DEVOLUÇÃO

por que toda vez que eu resolvo me entregar esqueço de conferir o endereço? número errado, dados insuficientes, mudança repentina do destinatário. devolvida e toda amassada, volto pra casa rabiscada e carimbada. 

virginia finzetto

APAIXONAR, VERBO IRREGULAR

fantasiar é bom...
e eu sei que é paixão porque depois de três dias ainda não consegui dobrar direito a perna. e a cabeça continua fora do lugar, que nem me lembro onde devo ter largado minha calcinha. e se eu fosse enterrada hoje, minha boca precisaria ser costurada, pois é muita bandeira este riso perpétuo de satisfação. ah, nada como um amante atrás do outro, dia sim, dia não. 


virginia finzetto

DESAFORISMO

não só vendeu a alma ao diabo. vendeu tudo o que não era seu, em pactos, em espúrios contratos e em tratos, que fizeram corar até​ o diabo, que, finalmente ofendido, a ele também se rendeu. o maligno. 

virginia finzetto

DE LUA

da janela 
a noite se despede
vejo no adeus da lua
sua última piscadela


virginia finzetto

TROCADILHOS

um ônibus que vai pra Carma seria um carma coletivo?

virginia finzetto

CRIMINOSOS

e hoje aqui dentro o dia se despede mais ou menos assim: as más notícias, que se acumularam sem o meu conhecimento, vieram de uma vez como bofetadas em todas minhas partes, até quase me levarem à nocaute. o desânimo em acreditar que poderemos nos safar dessa imensa armadilha de criminosos é diretamente proporcional ao tamanho da febre, que aumenta dia a dia, na tentativa de ajudar a reação dos anticorpos. pela quantidade de lixo e de alto teor de toxicidade, não descarto a possibilidade de uma septicemia. no entanto, isso também aumenta a chance de uma ressurreição e insurreição por ordem da fênix vingativa. na pior das hipóteses, pode-se continuar fingindo que isso não está acontecendo e voltar a dormir. acordar e dormir, acordar e dormir e morrer.

virginia finzetto

CINZAS

os tons de cinza da tv escondiam as cores de um rincão. nas ruas, formigas ferrugens, escaravelhos metálicos, cigarras foscas, gotas cintilantes, coloridas embalagens de cigarro de uma coleção. da tv não se sabia dos tons de cinza de um pulmão. a dita editava em preto e branco certos sonhos, futuros pesadelos.
 
virginia finzetto

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

CAFÉ


das arábias
sopram ventos
que me alentam
a levantar
co'a fé 
granulada
refinada
forte ou fraca
em quantos
algarismos
precisar


virginia finzetto

sábado, 19 de agosto de 2017

FINITUDE

nunca houve uma manhã

em que eu não vislumbrasse


um vivo dia



e assim é a morte,


a soma de todos


findos dias



virginia finzetto

sábado, 12 de agosto de 2017

LILITH

sob meu aparente
convite
há um iceberg
de medos e
desejos inconfessos
escondidos


pseudo-truques
que eu nunca
os contive


virginia finzetto

RETIRO DA BOIADA

o silêncio
é um vasto prado
um prato cheio
de dignidades
em retirada
a driblar o tempo


as afinidades casam
as vergonhas se escondem
as dúvidas se amontoam
os remorsos...
ruminam

dentre elas
se escondem
o medo corrosível
e a perigosa covardia

qual deixará primeiro
esse pasto ilimitado?


virginia finzetto