quinta-feira, 20 de abril de 2017

XADREZ

não me atreveria a esbarrar em um ângulo sequer da inteligência que rege meus órgãos. não haveria apologia de uma causa boa que reparasse tal imprudência nem instância que me pudesse salvar de um grande desastre. risco um fósforo em total rebeldia para as coisas que são a mim permitidas. o que significa dizer que liberdade é palavra oca para os que dominam a técnica do xadrez. enquanto me estapeio com o bispo e domo o cavalo, ou jogo as tranças da torre esperando o rei trair a dama, os peões se arriscam em pequenos passos e não temem o sacrifício a que se destinam. e só preencho um quadrado com um número certo não antes nem depois de preencher um outro. fora isso, tudo é palpite. se nisso se acerta, chama-se tal feito de sorte e segue-se cego esperando um novo milagre. mas poderia se acertar muito além com o conhecimento da mais pura técnica. 


virginia finzetto


segunda-feira, 17 de abril de 2017

A LENDA DO OVO DA PÁSCOA


era uma vez um ponto imaginário que veio do espaço e caiu numa ribanceira. seu tamanho era tão impesável e impensável, que ele permaneceu assim estático em sua solitude, sem ser notado, por longos e incontáveis períodos. no entanto, por intensa ação de uma força inominável, esse ponto começou a despencar. veio a chuva, veio o sol, e ele foi rolando, se envolvendo em camadas e mais camadas de matérias. e veio a chuva e veio o sol, e veio a chuva, e veio o sol... ele se sentia muito protegido dentro de um oco de total esquecimento. e assim ele foi aumentando de tamanho. rolando, rolando, crescendo cada vez mais... até que um dia, ele não soube mais se distinguir de dentro de tanto barro endurecido. muitos outros pontos vieram para esse mesmo lugar, a princípio com total consciência de sua origem e de seu paradeiro, mas, com o tempo, sob a ação de tanta lama envolvida, acabaram virando ovos de páscoa. embora talvez você ache que não sabe, há dentro de todos eles uma surpresa. :D    feliz páscoa!

virginia finzetto

domingo, 2 de abril de 2017

CLANDESTINA

não basta ser discreta
quero ser quieta
não basta ser quieta
quero ser clandestina
não basta ser clandestina
quero ser invisível
não basta ser invisível
quero ser energia
não basta ser energia
quero ser oscilação
não basta ser oscilação
quero... quero... quero...
isso, quero esquecer
o que sou


virginia finzetto

quinta-feira, 23 de março de 2017

Pré-venda do livro VI E/OU VI que o vento é aqui!

VI E/OU VI que o vento é aqui 


São apenas 30 exemplares na edição de lançamento. Garanta já o seu no link abaixo:

https://scenariumlivrosartesanais.wordpress.com/2017/03/11/029/

Pela Scenarium Plural Livros Artesanais


Lançamento dia 25 de março de 2017, a partir das 15 h

EKOA Café - Rua Fradique Coutinho, 914
 
Vila Madalena - São Paulo


terça-feira, 7 de março de 2017

LANÇAMENTO DO LIVRO

VI E/OU VI que o vento é aqui 

Pela Scenarium Plural Livros Artesanais

Dia 25 de março de 2017, a partir das 15 h

EKOA Café - Rua Fradique Coutinho, 914
 
Vila Madalena - São Paulo


quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

ANTES DE ONTEM, ANTES DE AMANHÃ, ANTES DE HOJE...

ANTES DE MIM... DEPOIS!

mas hoje
é a véspera
do dia 2
do mês que veio
do ano há 10
que você
se foi

eaquitudosegueeeuunoaspalavrasparaqueelasseconsolemumasàsoutrasenãochoremdesaudadedeumtempoemqueachavámosquenósenvelheceríamosjuntos

e antes de partir
você me disse:
pule a quarta,
espalhe as cinzas
e de alegria grite,
porque é fevereiro
de carnaval

virginia finzetto






terça-feira, 24 de janeiro de 2017

TAPAS LITERÁRIOS

das sete artes e das letras
com licença, poética é gastronomia!
tão atenta às minúcias da linguagem
a produzir delícias em antologia 
gêneros e aromas exclusivos
em vasto repertório de versificação
versos de minuto a poemas da hora
criados em oficinas de alquimia 
há menus fartos e variados
produzidos pelo poeta mestre-cuca
ladeados de boa prosa, sátiras picantes
trocadilhos salteados, salpicados de métrica
a exprimir o que há dentro de nós
como espremer a essência da noz 
estrofes de mignon, rimas à pururuca
estrambótico com pitada romântica
papo de anjo, gulodice
os cabelos de Berenice 
sopa ou ensopado 
ao sugo, al dente, marinado
da pâtisserie à marmelada
tortas redondilhas, rondó de goiabada
quadra, dístico, terceto 
em salada, in brodo, ao pesto
hashis em haicais, barquetes de elegias 
ode em neve, espetinho épicos
soneto de legumes, éclogas com lichias
em declamados pratos líricos
rocambole de frases, epopeia de sabores 
que brotam da imaginação 
tudo no capricho da linguagem... 

iguarias autorais assinadas pelo chefe!

virginia finzetto